segunda-feira, maio 14

Dama da Noite

(João Nogueira e Maurício Tapajós)

A noite a cidade é mais bonita
O maior pintor tenta e não imita
E até o poeta que vive na noite
Falando das coisas mais lindas
Falou que falou e ainda não se explica

Que a noite a cidade é mais caprichosa
A rua com a lua é bem mais formosa
O bar, doce lar dos boemios
Aonde os amores são gêmeos
Refúgio de quem quer viver na noite

Que a noite a cidade é misteriosa
É dama de negro cheirando a rosa
De briga, de ódio ou de tédio
De amor, de veneno ou remédio
Eu juro que eu quero morrer na noite.
______________________________________________
Dedico este lindo samba pro meu amigo campineiro Bruno Ribeiro.
Esta música esta no lp Clube do Samba, do João Nogueira (Polygram, 1979). Discaço, com Dino 7 Cordas, Jorginho, Eliseu, Neco, Geraldo Vespar, Joel Nascimento, Wilson das Neves, Luna, Marçal, etc.

Bom, meus fiéis e poucos leitores, perdoem meu sumiço. Muito trabalho, muita correria. Grandes emoções. Participei do festival Nabor Pires Camargo, em Indaiatuba, acompanhando o clarinetista Alexandre Ribeiro. Toquei (com o Choro Rasgado) com Dominguinhos, Arismar e d. Inah. Sesc Vila Mariana abarrotado, ingressos esgotados, amigos pra fora... que emocionante. Dominguinhos é sublime. Não tenho palavras pra descrever a emoção que senti. O homem é de uma generosidade absurda. Só tenho que agradecer ao Arismar (outro monstro da música) e à Eni pelo convite, muito, muito obrigada. Deu tão certo que acho que outros virão! Tomara.

Participei da Virada Cultural ao lado do Izaías do Bandolim, Israel 7 Cordas, Paola 7 cordas e outros acompanhando o Antônio Rago, importante violonista aqui de São Paulo, foi muito bom também.

Gravei novamente o programa Sr. Brasil, como não me canso de dizer, o melhor programa de música do país; desta vez acompanhando Paulo César Pinheiro (nossa, outra emoção fortíssima!), Luciana Rabello e seus filhos, Aninha (cavaco) e Julião (violão). Deve passar em duas semanas.

Na quarta passada me apresentei com mais três ídolos: Proveta, Jericó e Edson José Alves. Pra quem não conhece, são três feras da Banda Mantiqueira. Que show belíssimo, nossa, passei mal de tanta emoção. Foi um show antológico. No dia mais frio do ano. Mesmo assim, o Villaggio estava cheio. Aliás, não percam. O Villaggio Café está com um belo projeto instrumental às quartas-feiras, vou me apresentar novamente quarta que vem, dia 23, com o Proveta e o Penezzi.

Sexta passada toquei com a Carmen Queiroz, minha amada amiga Carminha, no Ó do Borogodó. Foi um showzaço, delicioso. Carminha está na sua melhor forma. Arrasou. Como vocês puderam ver, haja coração! E braço ;-)

Próximos projetos além dos habituais Ó do Borogodó (onde toco às segundas e terças) e Magnólia (às sextas): quarta, 16/5, no Mis com Trio Mandando Bala (Ruy Weber e João Poleto), 19 h. Sesc Instrumental, 29/5, com Choro RAsgado, 18h30. Parque Villa Lobos, dia 30, ainda não sei detalhes.

No meio disso tudo, aniversário de amigos pra lá de queridos, a quem deixo aqui um grande beijo: Eduardo Goldenberg, Marília Salles, Giane, Idati, Stê, Janis, meu pai, minha irmã Rafaella, Beth Carvalho, Euclides Marques, Chicão, Valéria Leite, e minha linda sobrinha (e afilhada) Mariana.

Boa semana a todos... estou aqui ouvindo o CD que acompanha o livro do Hermínio Bello de Carvalho, que CD bonito, gente, não deixem de comprar.

1 Comments:

Blogger Bruno Ribeiro said...

com milhões de anos de atraso, obrigado pela música - que eu amo!
Grande beijo e saudades!

julho 05, 2007 2:02 PM  

Postar um comentário

<< Home