quarta-feira, março 21

Encontros e Despedidas

(Milton Nascimento/Fernando Brant)

Mande notícias do mundo de lá
Diz quem fica
Me dê um abraço
Venha me apertar
Tô chegando
Coisa que gosto é poder partir
Sem ter planos
Melhor ainda é poder voltar
Quando quero

Todos os dias é um vai-e-vem
A vida se repete na estação
Tem gente que chega pra ficar
Tem gente que vai pra nunca mais
Tem gente que vem e quer voltar
Tem gente que vai e quer ficar
Tem gente que veio só olhar
Tem gente a sorrir e a chorar
E assim, chegar e partir

São só dois lados
Da mesma viagem
O trem que chega
É o mesmo trem da partida
A hora do encontro
É também despedida
A plataforma dessa estação
É a vida desse meu lugar
É a vida desse meu lugar
É a vida...
__________________________________________
Lembrei dessa música que eu adoro quando estava pensando em escrever o texto abaixo. O Ó do Borogodó, bar que eu mais amo e onde toco às segundas e terças, proporciona tantos encontros...
Ontem foi uma dessas noites mágicas. Nós (Choro Rasgado e D. Inah) recebemos a visita de amigos músicos e fizemos uma grande roda, foi um encontro histórico. Estavam lá tocando com a gente o Carlos Malta, Andréa Ernest Dias, Ricardo Herz, Hamilton de Holanda, Danilo Brito, Gabriel Grossi, Arismar do Espírito SAnto, Thiago do ESpírito Santo, Danilo (do grupo 4x0), o percussionista Bernardo Aguiar, o Samba, etc. Foi uma noite memorável. E na platéia o grupo de jazz Béla Fleck & The Flecktones, que tocou com lotação esgotada ontem no auditório ibirapuera...Tocamos duas horas sem parar, foi emocionante, a casa quase veio abaixo. Foi muito bonito! Muitas fotos foram tiradas, espero ansiosamente receber alguma pra poder disponibilizar aqui.

E no domingo fui no show do Hamilton com o Yamandu, no Auditório Ibirapuera. Que showzaço. Foi lindo demais, eles são o máximo. Casa lotada, sucesso total. Depois fomos pra um bar e ficamos cantando até de manhã, com o Alessandro Penezzi e o Ricardo Herz, a cantora Ilana Volcov e outros amigos. Outra noite memorável.

No sábado meu amigo Luis Nassif me apresentou o pianista argentino Facundo Ramirez, filho do grande Ariel Ramirez. Que arraso ele tocando e cantando, de arrepiar. Obrigada, Luis. E ainda no sábado fui na festa de aniversário do meu amigo querido Alex Buck, baterista e pianista. Nossa, que festão! Fizemos roda de samba até de manhã também, este fim de semana foi puxado, ufa... Não é só Deus que mata! Estou esgotada, mas com a alma leve, muito feliz.

2 Comments:

Blogger pena said...

de verdade foi um fim de semana comprido e memoravel, e essa noite de terca feira deve ter sido o máximo
pena que não pude ir
o pessoal do bela fleck saiu de lá absolutamente convencidos que só existem genios musicais no brasil

março 22, 2007 11:17 AM  
Blogger Rafaella said...

Que lindo!
Roberta, fico muito feliz por vc e por todas as pessoas que amam música. Sei que a única coisa certa de vcs artistas é em fazer o BEM, é muito bom saber que ainda existem pessoas nesse mundo tão louco que só querem fazer PAZ, AMOR e claro MÚSICA.
Fique sempre com Deus.
Beijo grande, Rafaella.

março 26, 2007 9:13 AM  

Postar um comentário

<< Home