quarta-feira, novembro 8

Minha família de músicos

Meus pais não tocam nenhum instrumento. Nem campainha. Nem meus irmãos. Minha mãe estudou violão quando moça, no entanto, era uma violonista frustrada. Por isso ela me colocou numa escola de violão, quando eu tinha uns 13 anos. Eu tocava dia e noite, sem parar. E até que tocava direitinho, cheguei a ganhar um prêmio num concurso da escola (primeiro lugar entre os 350 alunos). Mas quando comecei a frequentar o Bom Motivo, bar que mudou minha vida e onde descobri que a música era minha razão de viver, conheci tantos ótimos violonistas que percebi que eu tocava muito mal e que não era isso que eu queria (eu tinha muuuuita vergonha de tocar e cantar). Aí comecei a flertar com o cavaquinho, com quem tenho um caso mal-resolvido. Amo, mas estudo pouco, então não saio daquele nível. Mas ainda vou me dedicar inteiramente a esse instrumento, tenho certeza. O pandeiro chegou de brincadeira, tocava aqui, fazia um showzinho ali... quando vi, já estava tocando profissionalmente. E amo tocar pandeiro. Acima de tudo.

Penso que essa paixão pela música veio dos meus antepassados. Olhem a foto abaixo (de 1910), não é linda? À esquerda, meu bisavô, no bandolim. Meu avô é o mais novinho da foto, em pé, no violino. E os demais são todos tios da minha mãe. Cada dia mais eu me convenço de que nasci na época errada ;-)

2 Comments:

Blogger Zé Luiz Soares said...

Ro, esta foto é simplesmente ESPETACULAR...

Merece um tratamento gráfico, impressão ampliada e moldura. Né caro, não...se quiser posso fazer esse tratamento. De graça, claro.

beijos.

novembro 16, 2006 11:34 AM  
Blogger Christiane de Assis Pacheco said...

que nada, se vc tivesse nascido nessa época não poderia tocar profissionalmente e teria morrido de gripe espanhola:-)

janeiro 31, 2007 10:08 PM  

Postar um comentário

<< Home